Pages

20 de agosto de 2011

Fotógrafo Júlio Soares finaliza Semana da Comunicação da UCS com palestra

Foto: Perfil do twitter do Júlio Soares

A Semana da Comunicação da UCS foi concluida nesta sexta-feira, 19 de agosto, com a palestra do fotógrafo Júlio Soares, “A importância da Fotografia nas organizações e em nossa vida”. O evento organizado pelo centro de comunicação e diretórios acadêmicos do curso de comunicação social promoveu oficinas, workshops, palestras, mesas-redondas e debates sobre temas relacionados à tecnologia, fotografia, planejamento, estratégias organizacionais, marketing, publicidade e jornalismo.

No dia mundial do fotógrafo, Júlio Soares, o criador da Objetiva Fotografias explicou a importância da fotografia para o público presente no auditório do bloco H, da universidade. "Existem três áras básicas do fotógrafo: públicitária, social e jornalísitca."

De acordo com Sores, no âmbito publicitário, "a foto é o produto para campanhas e a 'cara' da emprea." No social, é o registro da vida, com batizados, formaturas, casamentos, lembranças... "Na vida passa tudo, mas ficam as fotos. Pouco bom tu olhar aquela foto de 5, 10 anos atrás, né? Certamente vai te surpreender". E a foto jornalísitca, é o fato e o presente. "Mostra realmente como as coisas são."

O fotógrafo ainda destacou que as três áreas são passiveis de erros e acertos e ainda diferenciou os tipos de imagens. "A imagem estática é o que revela tudo como é, e a imagem em movimento é o vídeo. Só quem fotografa, sabe o que quer transmitir na foto."

A avaliação da fotografia como arte e trabalhos fotográficos é muito relativo afirma Júlio Soares. "O filme do Avatar era o favorito para conquistar o Oscar, mas o vitorioso foi Guerra ao terror." exemplifica.

Conforme Júlio Soares, a fotografia é uma referência histórica e ele critica muitas organizações que não dão importância a história. "Algumas organizações não se preocupam com as suas próprias histórias. Deveriam registrar os lançamentos de produtos e eventos."

Ainda segundo o fotógrafo, as empresas deveriam ter sempre o resgate e os arquivos. "Uma foto pode detonar, como ganhar capa de revista", explica Júlio Soares.

Uma boa foto, incorpora o texto do jornal impresso salienta Soares. "São os profissionais da área de comunicação que devem valorizar este registro e despertar o interesse. A preocupação do empresário é outra."

A Objetiva Fotografias criada há 20 anos pelo fotógrafo Júlio Soares, é uma referência no segmento de fotografia publicitária/industrial e uma das mais conceituadas da serra gaúcha, afirma a descrição do catálogo entregue ao público da palestra. Conforme Soares, existe uma relação custo e benefício do registro das imagens com a experiência do profissional.

Para o fotógrafo, tem que haver o comprometimento do profissional, publicação e o valor da imagem. "O valor da foto depende do custo da estrutura com funcionários, produção, equipamentos, especialização e a vanguarda do profissional. O cliente sempre espera o melhor".

Júlio Soares orientou a todos que estão interessados em ingressar no mercado de trabalho da fotografia, a ter cuidados com o direito de imagem. "O direito de imagem é da pessoas, e sempre é bom pegar autorização, mesmo sendo amigo da pessoa, porque pode dar problema, se não tiver autorização."

A credilidade de 20 anos da Objetiva Fotografias renderam trabalhos com grandes empresas destaca Júlio Soares e sempre com profissionalismo. "Construir a imagem é complicado. O fotógrafo não pode ser escravo do sistema, porque ele vira um 'pós-foto'. A foto é o que fica na história de todas as instituções e na nossa vida. Trabalho com as cartazes da Festa da Uva."

Segundo Soares, as pessoas está começando a fazer registros dos momentos da vida e salienta o estilo do trabalho. "Quanto mais perto da realidade, melhor fica a foto."

O assunto dos custos foram retornados na palestra e o fotógrafo Júlio Soares justifica que cada profissional tem o seu valor e ele explica a forma que trabalha referente a valores. "Eu trabalho com diária. O valor é relativo, tem que ter ética com o trabalho. O cliente sempre vai ganhar com a foto."

De acordo com Soares, ele já tirou foto de tudo e por isso possui muita bagagem e consegue trabalhar pelos atalhos. "A foto hoje é mais serviço do que qualquer coisa. Uma hora de trabalho é 20 anos de foto."

Por fim, Soares afirma que o equipamento ajuda a ser um bom fotógrafo e a Objetiva foi uma das pioneiras a ingressar no mundo digital. "A experiência está embutida no preço", conclui o fotógrafo Júlio Soares na palestra. O evento foi realizado no dia mundial da fotografia, 19 de agosto, que encerra a Semana da Comunicação da UCS.

0 comentários:

Postar um comentário