Pages

29 de junho de 2013

Um jovem Esporte Clube Juventude completa 100 anos de histórias

Foto: Ivan Sgarabotto

O texto a seguir conta à história de 35 idealizadores que fundaram no dia 29 de junho de 1913, o primeiro clube de futebol de Caxias do Sul.

O Juventude nasceu num dia frio, sob a proteção de São Pedro, numa cidade 'pacata' que recém estava despertando com a chegada do trem (1910), e os postes eram erguidos para a instalação da energia elétrica (1913).

No começo da história do primeiro time caxiense, eis que tinha uma equipe imbatível, e assim logo começaram a surgir os primeiros rivais que queriam ter a mesma grandeza, força e raça deste clube alviverde.

O apelido de “Papada” surgiu como um deboche do rival Juventus na década de 1920, mas por ironia do destino, a torcida juventudista assumiu ser ‘Papo’ de coração, que fala demais, que protege o seu clube; e assim nos dias atuais, este apelido se divide com o ‘Jaconero’, que embalam o Estádio Alfredo Jaconi, dia e noite, com sol ou com chuva, e não importando a divisão.

Surgiu em 1935, o grande rival Grêmio Esportivo Flamengo; a forte crise financeiro fez com que Juventude e Flamengo se unissem em formassem em 1972, a Associação Caxias; porém, logo a fusão se desfez, e no ano de 1975, o Juventude constrói um novo Estádio Alfredo Jaconi, e o seu rival Flamengo, passa a se chamar Sociedade Esportiva e Recreativa Caxias do Sul.

O desempenho da equipe esmeraldina chamava muito atenção dos adversários, até que no ano de 1954, o clube esmeraldino começou a participar da “Divisão de Honra” do futebol gaúcho, a convite da Federação Riograndense de Desportos (atual Federação Gaúcha de Futebol). No ano de 1965, foi um grande momento do time caxiense com o vice-campeonato do estadual gaudério. Quem seria este Esporte Clube Juventude de Caxias do Sul?

Com orgulho, o ‘Papo’ levou o nome da cidade para disputar o Campeonato Brasileiro de 1977; realizaram também viagens para o Oriente Médio Asiático na década de 1980 alguns anos depois. Mas, no ano de 1993, com a assinatura da parceria de cogestão com a multinacional italiana Parmalat, os deuses do futebol, preparavam uma grande reviravolta na história do Juventude.

Um time do interior do Rio Grande do Sul começava a se fixar a no cenário nacional com o título da Série B em 1994, coma vitória de 2 a 1, sobre o Goiás no Jaconi. A partir de 1995, o clube esmeraldino inicia uma trajetória de 13 anos na divisão de elite do futebol nacional. A melhor campanha foi no ano de 1997, com a quinta colocação na competição.

A hegemonia de 59 anos de títulos gaúchos da dupla Gre-Nal foi quebrada pelo Juventude coma conquista do Gauchão Invicto no ano de 1998, em cima do Internacional. A comemoração foi feita no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, com o empate em zero a zero; mas como na partida de ida, o Ju derrotou os colorados de virada, pelo placar de 3 a 1, o ‘Papo’ conquistou assim, o título inédito do Campeonato Gaúcho.

O maior título da história do Juventude estava reservado para o ano de 1999. O time esmeraldino faturou a Copa do Brasil. Durante o torneio, a cada jogo era feito uma grande história. Na primeira fase despachou de cara, o Guará-DF ao golear pelo placar de 5 a 1, sem a necessidade do jogo da volta. Na fase seguinte, a eliminação parecia evidente ao perder para o Fluminense por 3 a 1; entretanto, na segunda partida, o Juventude meteu uma sonora goleada surpreendente de 6 a 0 no Alfredo Jaconi.

E de novo surgia à pergunta, quem seria este Juventude? Na terceira fase, o ‘Papo’ enfrentaria o todo poderoso ‘Timão’, e o clube alviverde fez o dever de casa e venceu por 2 a 0, e no jogo da volta; uma nova vitória sobre o Corinthians, pelo placar de 1 a 0.

O time esmeraldino já havia eliminado duas grandes equipes, e o próximo confronto seria contra o Bahia. Nas duas partidas empate em 2 gols, e a decisão foi para as penalidades. Os santos estavam ao lado do clube gaúcho, e a vitória nos pênaltis em Salvador, por 4 a 1.

O Juventude talvez já tivesse chegado ao seu limite; porém, o alviverde queria bem mais, e na semifinal enfrentou o Internacional. No primeiro jogo que foi realizado no Jaconi, o placar não saiu do zero a zero. O clássico seria então decidido no Beira-Rio, e num jogo histórico, o Juventude se tornou irreconhecível, acabou metendo 4 a 0 no colorado. Goleada que até hoje, os torcedores do Inter não esquecem.

A final chegou, a tensão aumentou e o Juventude tinha como confronto o Botafogo. No primeiro jogo, vitória alviverde pelo marcador de 2 a 1. 27 de junho de 1999, o ‘Papo’ conseguiu calar mais de 100 mil botafoguenses no Maracanã, ao empatar em 0 a 0, numa partida de grandes emoções. O Esporte Clube Juventude pinta o Brasil de verde e branco, e entra para a história do futebol nacional, ao conquistar o título inédito da Copa do Brasil de 1999.

Com a taça no armário, o Juventude no ano seguinte participa pela primeira vez da Copa Libertadores; e ainda em 2000, a parceria com a Parmalat termina. A partir de então, o clube gaúcho começava a escrever outra história, sem o aporte financeiro de uma grande multinacional, em voo solo.

Não há como negar, que teve muito esforço das direções do Juventude para manter o time na elite do futebol nacional, contudo, muitos erros levaram a agremiação para uma forte crise financeira, e, além disso, os sucessivos rebaixamentos. 24 de novembro de 2007, 28 de novembro de 2009, 19 de setembro de 2010, 3 de outubro de 2011 e 9 de setembro de 2012 foram às datas que o torcedor alviverde não gostaria que existisse. Nesses dias o time dava um passo para trás do sonho de estar na primeira divisão do Brasileirão.

Para disputar a quarta divisão, o Juventude teve que mostrar garra e faturar títulos, e foi isso que aconteceu com a conquista da Copa Lacy Ughini (2011) e Hélio Dourado (2012). Os títulos da Copinha além de forneceram a vaga para Série D, deram um novo ânimo e esperança para o futuro da papada.
O dia chegou, e muita festa é celebrada na grande Caxias do Sul. 29 de junho de 2013, o Esporte Clube Juventude completa um século de vida. São 100 anos de muitas histórias, de geração para geração.

Parabéns Juventude pelo aniversário, parabéns torcedores papos / jaconeros pela existência de um time de tantas glórias, de uma real tradição.

Por: Ivan Sgarabotto

1 comentários:

Postar um comentário