Pages

11 de fevereiro de 2014

Decretada prisão de suspeito de disparar rojão no cinegrafista da Band

Na imagem, artefato já aparece aceso perto de árvore. Um fotógrafo que estava no local e não quer ser identificado disse que o explosivo foi lançado por um jovem mascarado, que aparece de camiseta cinza, correndo, no canto direito da imagem
Foto: Agência O Globo

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro decretou, no início da madrugada desta terça-feira, a prisão temporária do suspeito de ter disparado o rojão que causou a morte do cinegrafista da Rede Bandeirantes Santiago Andrade, durante um protesto na última quinta-feira. O homem foi identificado como Caio Silva de Souza.

A Polícia Civil havia pedido a prisão do suspeito na tarde desta segunda-feira, após confirmar a sua identidade com a ajuda de informações do advogado Jonas Tadeu Nunes e de seu cliente, o tatuador Fábio Raposo, que reconheceu Caio por fotografias. "Já tínhamos informações dele obtidas pelo setor de inteligência da Polícia Civil. O advogado reforçou as suspeitas e o reconhecimento feito por Fábio foi fundamental", disse o o delegado Maurício Luciano, responsável pelo caso.

Fábio Raposo, que confessou ter passado o rojão ao suspeito, está preso desde domingo. O cinegrafista Santiago Andrade teve morte encefálica diagnosticada na manhã desta segunda-feira.

Crimes - Raposo e o homem que acendeu o rojão serão indiciados por homicídio doloso (com intenção) qualificado e por explosão, crimes que podem render até 35 anos de prisão. Eles também podem responder por formação de quadrilha. De acordo com o delegado Maurício Luciano, Raposo detalhou que o responsável por disparar o rojão tinha um perfil violento, de ir para a linha de frente dos protestos para participar de brigas. "Ele afirmou que conhecia o rapaz apenas das manifestações, não tinha ligação com ele”, disse o delegado.

Segundo o delegado, o criminoso tentou atingir policiais com o rojão, mas acabou acertando o cinegrafista. “Foi um homicídio intencional. O que se procurou foi atingir as forças policiais. Santiago Andrade infelizmente foi colocado na linha de tiro”, frisou o delegado. Fonte

0 comentários:

Postar um comentário