Pages

7 de julho de 2014

Potranco vítima de maus tratos é adotado e ganha prótese em Caxias do Sul

Foto: Jackson Cardoso

Uma denúncia anônima ao 190 da Brigada Militar deu novo rumo a vida de um potranco, em Caxias do Sul.

Em junho de 2013 a BM e a SOAMA foram acionados, referente ao um equino ferido, abandonado e agonizando, num mato da região do bairro Parque Oasis. Enquanto a instituição e ONG buscavam ajuda veterinária, acreditando até mesmo que o animal acabaria sendo sacrificado, pois estava, muito abaixo do peso, tomado de bicheiras, e nem sequer conseguia levantar.

O casal, Vitor Boldrini e Adriana Castilhos Suzin acabaram passando pelo local, e ao tomar conhecimento da história, pediram a posse do animal, informando que providenciariam o socorro necessário.

O animal foi entregue aos fieis depositários e ganhou o nome de Campeão e foi levado até a Cabanha Del Fuego, em Monte Bérico, onde passou a ser cuidado e medicado 24h por dia, ganhando também atenção da Bióloga Renata Onzi e seu esposo Mauricio Lazzari que se uniram a causa, e se revezavam para salvar o animal, com aplicação de soro, vacinas, curativos e até mesmo transfusão de sangue.

Apesar toda a dedicação dos amigos, a ostemielite tomou conta da pata, e um mês depois o animal teve que ser amputado. Inconformados com triste fim de um cavalo da raça crioula, com procedência registrada, e nominado "Baião da Bandeira 198" de uma cabanha de Jaguarão, os amigos uniram força, fizeram rifa para angariar dinheiro, e conseguiram colocar uma prótese para suprir a falta da pata.

Hoje passado pouco mais de um ano de sua localização com gastos que se aproximam de R$ 15 mil, o equino recuperou o peso e caminha normalmente com ajuda da prótese, que já teve que ser trocada quatro vezes para se adaptar ao tamanho do cavalo, que ainda continua crescendo.

Este é primeiro caso de adaptação de pata mecânica que se tem registro de um equino no Rio Grande do Sul, e segundo caso no Brasil, o protético de prótese humana, fez o projeto em caráter experimental, comovido com a trajetória de amor, cuidado e sofrimento dispensado pelos amigos.

Segundo a Bióloga Renata "... é importante a divulgação, para conseguir novas informações e experiências que possibilitem o desenvolvimento de recursos adequados para a melhor qualidade de vida do Campeão...".

O homem acusado do crime foi identificado e respondeu a um processo criminal, onde teve a pena convertida em multa, e ao animal hoje pertence aos amigos.

Com informações da Brigada Militar Crpo Serra

0 comentários:

Postar um comentário