Pages

8 de fevereiro de 2015

Um gole de whisky por favor

Foto: Divulgação

Sozinho numa mesa de bar, entre um gole e outro de whisky, ao fundo um som de blues, vários pensamentos surgem, perguntas e reflexões, que parecem não ter respostas.

O que você está fazendo? Sim, desde que saiu da escola, tu conseguiu realizar o que queria? Os teus sonhos e objetivos eram reais? Tu foi atrás daquilo que mais queria?

Na faculdade ao escolher o curso que sempre quis, ficou satisfeito com os resultados adquiridos? Era isso o que tu queria mesmo? Está conseguindo aproveitar os ensinamentos de tantas e tantas aulas que pareciam eternas?

Ao tomar mais um gole de whisky, o coração parece estar batendo mais forte e palpitando demais, a mão já está suando, e algo parece não estar legal. O problema não é o efeito do álcool, mas, as avaliações das atitudes e o rumo que as tuas escolhas estão tomando, seriam as mais corretas?

O problema que nem sempre o bom é bom, e o ruim é ruim, e isto é possível ao depender de uma série de circunstâncias; e por mais que tu não queira, ou queira, sei lá, isto depende exclusivamente de cada um. Tu está construindo algo? Ou simplesmente parou de construir?

O tempo quando vê, passa rápido e tu parece estar meio perdido. A ansiedade e o nervosismo podem atrapalhar, e te atrasar, mas, afinal, tu está indo em busca do que tanta almeja? E o trabalho e a família, como estão? Em desenvolvimento ou em monotonia?

No último gole do simples whisky, a música também parece estar no fim e o bar a fechar... entretanto, a vida continua e tu te se sente na obrigação de correr para não perder mais tempo, ou apenas, tentar acompanhar os passos de um futuro, que só depende unicamente de ti.

Por: Ivan Sgarabotto

0 comentários:

Postar um comentário