Pages

16 de julho de 2015

Governador Sartori vistoria áreas atingidas pelas enchentes

Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini

O governador José Ivo Sartori sobrevoou, na tarde desta quarta-feira, 15, áreas atingidas pelas cheias nos municípios de Esteio, São Leopoldo, Montenegro e São Sebastião do Caí, onde cerca de 2 mil pessoas foram afetadas. Acompanhado da secretária do Gabinete de Políticas Sociais, Maria Helena Sartori, e do chefe da Casa Militar, tenente-coronel Everton Oltramari, Sartori visitou em São Sebastião do Caí 28 famílias desabrigadas, sendo 63 adultos e 23 crianças, que foram removidas para o Centro Integrado Navegantes. Os bairros mais alagados no município foram Navegantes e Vila Rica. O governador também esteve no bairro Aquidaban, onde ocorreram alagamentos.

De acordo com o prefeito de São Sebastião do Caí, Darci José Lauermann, dos 180 quilômetros de estradas vicinais, no mínimo 100 foram danificados. As perdas na produção de cítrus ainda não foram contabilizadas. O monitoramento da Defesa Civil indica que o rio Caí está com 12,5 metros – a altura média é de 2 metros. A prefeitura ainda contabiliza as perdas no município.

Durante a visita, Sartori destacou que o ministro da Integração, Gilberto Magalhães Occhi, colocou-se à disposição para auxiliar o Rio Grande do Sul depois de os municípios terem levantado os prejuízos. Ressaltou também o trabalho da Defesa Civil, que fez um alerta sobre as fortes chuvas que atingiriam o Estado.

Monitoramento permanente

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil monitora os pontos mais críticos do RS, principalmente as regiões do Vale do Caí, Sinos, Norte e Fronteira Oeste, banhadas pelo rio Uruguai. O aumento da vazão do rio Uruguai gera preocupação extra com os municípios de Iraí, São Borja, Uruguaiana, Itaqui e Barra do Quaraí, já atingidos. Da mesma forma, no caso do rio dos Sinos, os municípios que devem receber grande vazão de água são Novo Hamburgo, São Leopoldo, Esteio e Parobé. Montenegro e São Sebastião do Caí tiveram aumento do nível das águas.

A Defesa Civil segue em alerta e oferecendo assistência aos órgãos de segurança das localidades afetadas. De acordo com boletim divulgado às 17h da quarta-feira, são 41 municípios, com aproximadamente 4.800 pessoas atingidas e 716 em abrigos provisórios.

0 comentários:

Postar um comentário