Pages

30 de dezembro de 2010

Documentário `Senna´ finalmente estreia em Caxias do Sul

Se você for um daqueles tantos brasileiros que acordavam cedo no domingo para não perder um minuto das corridas de Ayrton Senna, prepare-se para uma forte emoção.

Estreia sábado o documentário Senna (GNC 1), sobre a vida daquele que é considerado o maior piloto de todos os tempos. Dirigido pelo inglês Asif Kapadia, o filme traz imagens e depoimentos do tricampeão da Fórmula 1 (1988, 1990 e 1991), sua vida em família e bastidores de suas conquistas.

Kapadia realizou a produção com apoio da família Senna e de Bernie Ecclestone, o chefão da F-1, que cederam imagens inéditas de seus acervos. Aos poucos, o diretor vai construindo a personalidade de Senna, um obcecado pela vitória que encontrou a morte em Ímola, no dia 1º de maio de 1994, aos 34 anos.

O lado da competição é bem conhecido dos admiradores do piloto, mas o Senna das reuniões e dos confrontos com dirigentes da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e com os próprios colegas é quase novo. Em um momento, Senna surge encarando os cartolas da FIA ao ter a vitória de 1989 no Japão anulada por uma interpretação de regulamento.

No ano seguinte, abandona uma reunião ao ver que tudo que defendera – e que fora recusado para favorecer o francês Alain Prost – era agora proposto por outros pilotos, especialmente Nelson Piquet.

É um Senna que desmoraliza e silencia o supercampeão escocês Jackie Stewart durante uma entrevista, quando os acidentes do brasileiro entram na discussão.

O filme lembra manhãs inesquecíveis de domingo, como aquela em que a bordo de uma precária Toleman Senna só não venceu Prost em Mônaco porque a direção da prova ajudou o francês. Revive vitórias impossíveis, como aquela em que Senna saiu de um 16º para chegar ao fim com o título, ou a do Brasil, quando o câmbio de sua McLaren trancou a seis voltas do fim, obrigando-o a pilotar só com a sexta marcha. Fonte

0 comentários:

Postar um comentário