Pages

20 de setembro de 2016

Papo de Gringo completa 8 anos


O meu blog PAPO DE GRINGO completa neste 20 de setembro de 2016 - 8 ANOS - http://PAPODEGRINGO.blogspot.com.br/. Tantas histórias já foram registradas nele, e que mesmo com o pouco tempo que estou dedicando ultimamente, ele é especial pra mim e ainda estar no ar há tanto tempo.

Sempre tenho a intenção de melhorar, já tive a vontade de o tornar mais profissional, mas, sabemos o quanto é difícil de manter com a instantaneidade que merece. Rumo aos 10 anos!!! E vamos ver se ele chega até lá!!!

Gaúchos comemoram o Dia da Revolução Farroupilha

Foto: Andréia Copini

No dia 20 de setembro, milhares de gaúchos participam dos festejos pelo Dia da Revolução Farroupilha. Por todo o Rio Grande do Sul, a data é comemorada com desfiles, acampamentos tradicionalistas, apresentações artísticas e outros eventos nos quaisa cultura gaúcha é exaltada.

Os festejos remetem ao aniversário da revolução que começou no dia 20 de setembro de 1835 e foi a mais longa guerra separatista da história do Brasil. A resistência da proclamada República Rio-Grandense diante do Império do Brasil, que durou quase dez anos, é lembrada com orgulho pelos que se identificam com o gauchismo e com os valores farroupilhas de Liberdade, Igualdade e Humanidade.

O presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Nairo Callegaro, destaca que a comemoração é uma forma de resgatar e preservar valores que estavam presentes na proclamação da República Rio-Grandense pelo general Antônio de Souza Neto.

O presidente do MTG disse, ainda, que a celebração da Revolução Farroupilha é um evento da cultura brasileira. Para Callegaro é natural que cidadãos de cada estado brasileiro sintam orgulho de suas tradições e desejem mostrá-las para o resto do País.

No entanto, pesquisadores da história gaúcha afirmam que a percepção popular sobre os acontecimentos da Guerra dos Farrapos está distorcida.

O historiador e jornalista Juremir Machado da Silva, autor do livro História Regional da Infâmia: o destino dos negros farrapos e outras iniquidades brasileiras, ou como se produzem os imaginários, afirma que a história está longe de ser o que a tradição propagou no imaginário popular. “Foi uma revolução de proprietários, uma revolta de fazendeiros. A população mais pobre simplesmente foi levada ‘de roldão’. Os negros foram usados como ‘bucha de canhão’ e, depois, foram traídos”, contou.

A percepção ‘romantizada’ dos gaúchos sobre o que foi a Guerra dos Farrapos levou Juremir a acreditar que as pessoas comemoram muito mais um certo 'mito' da vida no campo e das tradições gauchescas do que propriamente a história da revolução.

Por isso, apesar da visão crítica sobre o passado farroupilha, o jornalista e historiador não acha que as comemorações de 20 de setembro sejam reprováveis.

Com informações da Agência Brasil

19 de setembro de 2016

Brasil fica em oitavo lugar na Paralimpíada do Rio de Janeiro

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Brasil terminou em 8º lugar no quadro geral de medalhas da Paralimpíada do Rio de Janeiro. Foram 72 medalhas no total, sendo 14 de ouro, 29 de prata e 29 de bronze. Antes do início da competição, a meta prevista pelo Comitê Paralímpico Brasileiro era de que o Brasil ficasse entre os cinco melhores países na conquista de medalhas.

Apesar de ter conquistado mais medalhas que nos jogos de Londres, em 2012, a colocação do Brasil neste ano ficou pior, porque há menos medalhas de ouro, que contam mais pontos na classificação. Em Londres, o Brasil ficou em 7º lugar, com 43 medalhas no total, sendo 21 de ouro, 14 de prata e oito de bronze.

A última medalha do Brasil nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro foi conquistada por Edneusa Dorta. Ela ficou em terceiro lugar na maratona feminina classe T12, para deficientes visuais.

A modalidade em que mais foram conquistadas medalhas pelo Brasil foi o atletismo, com 33 medalhas no total. Na natação, os atletas brasileiros ficaram com 19 medalhas.

Na Paralimpíada do Rio, a China ficou em primeiro lugar, com 239 medalhas: 107 de ouro, 81 de prata e 51 de bronze. Em seguida, aparecem a Grã-Bretanha, com 147 medalhas no total, Ucrânia, com 117, Estados Unidos, com 115, e Austrália, com 81 medalhas.

Ranking paralímpico

Se o oitavo lugar alcançado pelo Brasil no quadro geral de medalhas dos Jogos Paralímpicos deste ano não satisfez a meta proposta pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, pelo menos fez com que o país melhorasse de posição no quadro histórico de medalhas nas Paralimpíadas.

As 14 medalhas de ouro conquistadas no Rio fez o Brasil saltar do 26º para o 23º lugar. Ao todo, o Brasil soma 87 medalhas de ouro em toda a história das Paralimpíadas. A marca fez o país ultrapassar Suíça, Bélgica e Finlândia.

A liderança geral continua com os Estados Unidos. Apesar de ter ficado em 4º lugar no Rio de Janeiro, os norte-americanos têm agora 771 medalhas de ouro. Em segundo lugar, está a Grã-Bretanha, com 664 medalhas de ouro. A China, que faturou 107 medalhas de ouro no Rio, deu um salto no ranking: pulou de 7º para 4º, com 443 medalhas de ouro.

Alemanha (3º), Canadá (5º), Austrália (6º), França (7º), Holanda (8º), Polônia (9º) e Suécia (10º) completam a lista dos 10 primeiros. Na sequência, o país que mais saltou foi a Ucrânia. Com as 41 medalhas de ouro, o país foi do 22º para o 13º lugar. Agora, a Ucrânia tem 125 medalhas de ouro. Quarenta e uma delas conquistadas só no Rio de Janeiro.

Veja o ranking histórico de medalhas em Paralimpíadas

1º – EUA 771
2º – Grã-Bretanha 664
3º – Alemanha 508
4º – China 443
5º – Canadá 396
6º – Austrália 368
7º – França 346
8º – Holanda 276
9º – Polônia 262
10º – Suécia 225
23º – Brasil 87

24 de agosto de 2016

Pesquisa da Famurs identifica que 129 prefeitos desistiram da reeleição no RS

Um estudo da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) identificou que 129 prefeitos gaúchos desistiram da reeleição. Os desistentes representam 37% dos gestores municipais que estão aptos a concorrer ao segundo mandato no pleito de outubro de 2016. O percentual está próximo daquele divulgado pela Federação em abril deste ano. Na ocasião, a entidade informou que um terço dos prefeitos não se candidataria novamente.

De acordo com o presidente da Famurs e prefeito de Arroio do Sal, Luciano Pinto, a crise financeira dos municípios é o principal motivo que afugenta os gestores da reeleição. "A realidade da gestão pública municipal é preocupante. Os prefeitos estão sofrendo com a redução dos repasses estaduais e federais, o aumento das atribuições aos municípios, a interferência da judicialização na gestão pública e o excesso de rigor nos apontamentos dos órgãos de controle", analisa.

Dos 497 municípios do RS, atualmente 148 são governados por prefeitos reeleitos e que, portanto, não poderão participar mais uma vez da disputa. Entre os 349 gestores aptos à reeleição, 220 disputarão o segundo mandato, conforme a pesquisa da Famurs, com base em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Entre outros fatores alegados pelos prefeitos, está o desencanto com a classe política. "A população está cansada dos escândalos de corrupção, e os políticos acabam sendo todos nivelados por baixo. Pensam que tudo é farinha do mesmo saco, mas não é bem assim", lamenta Luciano.

Prefeitos de grandes cidades desistem da reeleição

Segunda maior cidade do Estado, Caxias do Sul não vai contar com a participação do atual prefeito Alceu Barbosa Velho no pleito. Ele afirma não ter entrado na disputa por um novo mandato por convicção. “Sou, por princípio, contra a reeleição. A democracia não vive de reeleição. Vive de alternância”, reflete. Em Pelotas, o prefeito Eduardo Leite abdicou da candidatura com o mesmo argumento. “Para manter minha coerência, decidi não concorrer. Nosso sistema político faz com que a reeleição seja um grande problema", alerta.

Prefeituras médias não contarão com atuais gestores na disputa eleitoral

Prefeitos de municípios de médio porte também optaram pela desistência. Após refletir por dois anos, o prefeito de Santo Ângelo, Valdir Andres, decidiu não entrar na disputa por um novo mandato. Ele aponta a “grave crise financeira que vivem os municípios” como uma das causas da desistência. O aumento da judicialização nas áreas da saúde, assistência social e habitação, que drenam os recursos da prefeitura, foi outro fator que desestimulou o político das Missões.

Realidade financeira de pequenos municípios é trágica

A escassez de recursos para gerir o município também pesou na definição do prefeito de Restinga Sêca, Mauro Schunke, que se retirou da disputa eleitoral deste ano. “A despesa pública é maior do que o recurso que a prefeitura recebe do Estado e da União. Não há mais como administrar o município", lamenta.

O prefeito de Dom Pedro de Alcântara, Marcio Biasi, desistiu de tentar a reeleição após penar com a falta de recursos. Ele cogita até abandonar a vida pública. “A frustração é total. Diminuiu a arrecadação. Por outro lado, aumentaram os encargos que o município recebeu da União e do Estado”, reclama.

21 de agosto de 2016

Brasil conquista a medalha de ouro no vôlei masculino

Foto: Goverrno Federal/ Twitter

A seleção brasileira de voleibol masculina faturou a medalha de ouro na tarde deste domingo, 21, no último dia da Olimpíada, ao vencer a Itália por 3 sets a 0, no Maracanãzinho (25/22, 28/26 e 26/24). Após um início de competição irregular, o Brasil conseguiu ganhar o torneio com seis vitórias e duas derrotas. O Brasil conquistou a sua terceira medalha de ouro no vôlei masculino (1992, 2004 e 2016).

20 de agosto de 2016

Maicon Siqueira ganha medalha de bronze no taekwondo

Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB

O atleta de taekwondo Maicon Siqueira, 23 anos, conquistou o bronze na categoria acima de 80kg, na noite deste sábado, 20 de agosto, na Arena Carioca 3. Trata-se do o primeiro pódio brasileiro na modalidade em disputas masculinas (em Pequim 2008, Natália Falavigna também foi bronze). Caçula dos oito filhos de dona Vitória – que teve 12, mas perdeu quatro –, Maicon tinha a seguinte rotina até quase dois anos atrás: pedreiro de segunda a sexta, garçom aos sábados e atleta aos domingos. Mas esse não foi seu maior obstáculo: em 2015, recebeu a notícia de que a mãe estava com câncer. A cura veio pouco antes do bronze, e foi para os braços dela, além de irmãos e amigos, que ele correu para comemorar a conquista.

Maicon venceu por 5 a 4 do britânico Mohama Cho na disputa do bronze. O atleta começou o dia com uma vitória de virada, a 30 segundos do fim, sobre o americano Stephen Lambdin (9 a 7). Nas quartas de final, derrota para Issoufou Alfaga, de Níger (6 a 1). A partir de então, restava-lhe torcer para que Alfaga ganhasse a semifinal, possibilitando que o brasileiro disputasse a repescagem. Alfaga passou para a final, e o brasileiro foi para a repescagem. Então, venceu o francês M’Bar N’Diaye (5 a 2) e o britânico Mohama Cho (5 a 4). Nessa última luta, saiu perdendo por 3 a 1, mas virou o combate.

Brasil conquista medalha inédita de ouro no futebol

Fotos: Governo Federal/Twitter

A seleção brasileira de futebol conquistou a medalha inédita de ouro neste sábado, 20, ao derrotar a Alemanha nos pênaltis por 5 a 4, em partida realizada no Estádio Maracanã, nos Jogos Olímpicos Rio 2016. No tempo normal, o Brasil começou na frente do placar com Neymar e o empate em 1 a 1 aconteceu na segunda etapa com Meyer.

Na prorrogação o placar ficou fechado e nas cobranças de pênaltis, o Brasil conseguiu o título olímpico. O goleiro Weverton defendeu a última cobrança alemã, de Petersen, e Neymar finalizou o placar.

Definido o tempo de propaganda dos candidatos a prefeito na serra gaúcha

Foto: Agência Brasil

O sorteio para definir o tempo de propaganda dos candidatos a prefeito foi realizado na tarde desta sexta-feira, 19, no Cartório Eleitoral de Veranópolis e em Caxias do Sul.

Em Veranópolis o candidato Waldemar de Carli (PMDB) inicia a propaganda com o tempo de 4min e 19s. Moisés Pertile (PSD) terá 5min 40s para sua explanação.

Os eleitores de Fagundes Varela poderão ouvir as propostas dos candidatos Cláudia Moreschi Tomé (PP) que vai dispor de 7min e 07s, e Rogério Binda (PMDB) de 2min e 52s, sempre as quintas-feiras nas emissoras de rádio de Veranópolis, Vila Flores e Cotiporã. Houve acordo e os demais candidatos consentiram com cedência do espaço.

Em Vila Flores a candidata Mari Omizzollo (PMDB) usará 2min e 40s e o candidato a reeleição Vilmor Carbonera (DEM) terá 7min e 19s.

O tempo de rádio dos candidatos é definido em razão das coligações formadas, considerando o número de partidos e a representação na Câmara dos Deputados.

No município de Cotiporã o tempo será de 10 minutos em cada faixa horária para o único candidato José Carlos Breda.

O inicio da propaganda eleitoral no rádio será a partir do dia 26 de agosto, em dois horários, das 07h até às 07h10min e das 12h até às 12h e 10min. Além deste horário os candidatos a prefeito, vice e vereadores terão espaços de 30 segundos durante a grade comercial das emissoras de rádio.

E também os integrantes das coligações e da imprensa estiveram reunidos na tarde desta sexta-feira, 19, no cartório eleitoral de Caxias do Sul tratando sobre as normas da campanha deste ano. O tempo de propaganda no rádio e televisão foi definido:

Edson Néspolo – 5min 47seg

Pepe Vargas – 1min 40seg

Daniel Guerra – 1min 28seg

Assis Melo – 20seg

Francisco Correa – 16seg

Vitor Hugo Gomes – 15seg

Brasil é medalha de prata na canoa dupla de 1000m com Isaquias e Erlon

Foto: Alexandre Loureiro/Exemplus/COB

A dupla de canoístas brasileiros formada pelos baianos Isaquias Queiroz e Erlon Silva levou a medalha de prata na final da prova canoa dupla 1.000m, na canoagem velocidade. Os brasileiros lideraram toda a prova, mas foram ultrapassados pela dupla alemã formada por Sebastian Brendel e Jan Vandrey na reta final.

A competição foi na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro.

Os alemães levaram o ouro, com o tempo de 3:43.912. Os brasileiros concluíram a prova em 3:44.819. O terceiro lugar ficou com a equipe da Ucrânia, que completou a competição em 3:45.949.

Com o resultado deste sábado, Isaquias Queiroz tornou-se o primeiro brasileiro a ganhar três medalhas na mesma edição dos Jogos Olímpicos. Na quinta-feira, 18, o atleta de 22 anos conquistou a medalha de bronze na prova dos 200m da canoagem velocidade e, no início da semana, levou a prata na prova dos 1.000m da canoagem velocidade individual.

18 de agosto de 2016

Alison e Bruno Schmidt vencem italianos e levam o ouro no vôlei de praia

Foto: Alaor Filho/Exemplus/COB

Após 12 anos, quando subiu ao lugar mais alto do pódio com Ricardo e Emanuel em Atenas 2004, o Brasil voltou a conquistar uma medalha olímpica de ouro no vôlei de praia masculino. Na grande final disputada debaixo de chuva fina já na madrugada desta sexta-feira, dia 19 de agosto, na Arena de Copacabana, Alison e Bruno Schmidt derrotaram os italianos Paolo Nicolai e Daniele Lupo por 2 sets a 0 (21/19 e 21/17) e conquistaram o ouro nos Jogos Rio 2016.

Atual líder do ranking da Federação Internacional de Vôlei (FIVB), a dupla brasileira confirmou seu favoritismo em cima de Nicolai e Lupo, que ficaram em quinto lugar nos Jogos Londres 2012.

No total, o Brasil tem agora seis medalhas no vôlei de praia masculino, sendo duas de ouro, três de prata e uma de bronze.