Pages

6 de março de 2011

Canais que não transmitem desfiles aumentam Carnaval nordestino

Não são só trios elétricos que movimentam o Carnaval de Recife e Salvador.

As praias e ruas das duas capitais estão cada vez mais cheias de câmeras, de produtores televisivos que correm de um lado para o outro, de camarotes equipados com as últimas parafernálias do sistema HD de transmissão.

Para oferecer uma alternativa aos desfiles exibidos com exclusividade pela Rede Globo, as concorrentes Band e RedeTV! já esticavam suas equipes até as duas cidades.

Neste ano, essas emissoras turbinaram os investimentos, em parte por conta de uma nova concorrência. Em 2011, o SBT também caiu no samba baiano.

ORÇAMENTO DOBRADO

A Band divulga que dobrou o orçamento previsto para locação e instalação de equipamentos e também para o deslocamento de equipe de São Paulo. O investimento para Recife e Salvador atingiu R$ 8 milhões.

Em 2010, foram cerca de R$ 4 milhões. A estrutura montada pela emissora na capital da Bahia inclui camarote para 6.000 pessoas.

Uma passarela articulada ao espaço será o principal palco, com dois telões aquecendo o público e os lucros da emissora, sob o comando de um time que inclui Adriane Galisteu, Luciano Faccioli e Silvia Poppovic.

A tabela de patrocinadores de sua programação estabelece cotas de até R$ 24 milhões.

A RedeTV!, por sua vez, divulga ampliação de 20% no orçamento da cobertura de Carnaval, com pontos de apresentação em São Paulo, Rio e Salvador.

Para consolidar sua estreia, o SBT aposta R$ 2,5 milhões na programação, em parceria com sua filial baiana, a TV Aratu.

O retorno, segundo a direção da rede, foi mais do que imediato. Foram vendidas seis cotas no valor de R$ 15,8 milhões cada uma.

"Essa opção não foi pensada para fazer concorrência para a Globo. É uma experiência nova. O SBT não tinha esse hábito de organizar eventos, como a Band tem. E, comercialmente falando, já temos uma ótima avaliação", diz Ariel Jacobowitz, diretor do SBT, um dos organizadores da cobertura.

DISPUTA

Esse aumento de interesse acaba acirrando a disputa por espaços. Embora a Band seja pioneira na cobertura do Carnaval nordestino, o SBT abocanhou o direito de exibição no camarote da cantora Claudia Leitte, por exemplo.

A emissora fará a transmissão também a partir de dois estúdios do circuito Barra-Ondina, um dos principais na capital baiana. Para a cobertura das festas, foi escalada a dupla Eliana e Celso Portiolli.

Hoje à noite, é André Vasco quem assume o comando do SBT Folia.

As opções da TV aberta não focam apenas a folia. TV Brasil e TV Cultura, por exemplo, também apresentam programações especiais, com espaço para documentários, entrevistas e filmes.

"Aqui não tem ziriguidum nem 'telecoteco' da avenida", brinca a gerente de programação da TV Cultura Anna Valéria. A emissora exibe Elza Soares em entrevista para Antonio Abujamra no programa "Provocações".

À meia-noite de hoje, "Histórias de Carnaval - Se a Lua Contasse" também faz um retorno às raízes.

O programa reúne os bambas Ismael Silva, Martinho da Vila, Aracy de Almeida, Herivelto Martins e Emilinha Borba cantando músicas de Carnaval.

Na sequência, à 1h, a emissora leva ao ar homenagem a Paulinho da Viola. Mariana Aydar e Isaías do Bandolim estão entre os convidados.

O filme "Fabricando Tom Zé", de Décio Matos Jr., é a atração que a TV Brasil reservou para o domingo de Carnaval. O documentário sobre o compositor baiano e sua estreita relação com São Paulo será exibido às 23h30.

Amanhã, outro longa é destaque na emissora estatal. Às 20h vai ao ar "1950 -Assim Nasceu o Trio Elétrico". O documentário mostra, entre outras curiosidades, a criação do pau elétrico, instrumento desenvolvido por Dodô e Osmar, que possibilitou a criação dos trios elétricos nos carnavais das décadas de 40 e 50. Fonte

0 comentários:

Postar um comentário