Pages

7 de setembro de 2011

O mistério da Rádio UAB de Caxias do Sul estar fora do ar

Foto: Divulgação / Site da UCS

A cidade de Caxias do Sul está sem uma rádio comunitária oficial no ar. Na frequência 87.5 que pertencia (????) até o ano passado à Associação Pró -Campus, que a UCS faz parte do conselho, foi repassado (????) para a União das Associações de Bairros (UAB). A rádio comunitária continua sobre os cuidados da universidade, com o áudio da rádio web Frispit, que é produzida e apresentada pelos alunos de comunicação da instituição.

O site (desatualizado) da Anatel não informa mais que Caxias do Sul tem uma RADCOM (rádio comunitária), como anteriormente mostrava ser da Associação Pró -Campus e o engenheiro responsável está ciente deste problema. Em conversas internas sabe-se que teve erros na documentação e por isso da demorada da emissora estar no ar. E como tem problemas na documentação isso significa que a rádio comunitária ainda continua com a Associação Pró -Campus (????).

Especula-se que a rádio da UAB só vai entrar em operação no ano que vem, diferente de algumas notícias que informavam para o final deste ano. Os mais otimistas diziam até que ela estaria no ar nos meses de março e abril, o que não aconteceu até então.

Mesmo com o sinal da web Frispit, a rádio não pertence mais à UCS (????). O local das instalações da emissora da UAB é particular e a universidade não terá mais tanto acesso.

ATENÇÃO!
Informações atualizadas no dia 07/09/2001 e em breve novas notícias sobre a palhaçada da RÁDIO COMUNITÁRIA. OS PONTOS DE INTERROGAÇÃO (
????) FORAM PROPOSITAIS!


Foto: Claudia Velho

Entenda o caso:

O repasse da emissora comunitária que tem toda a estrutura da UCS ocorreu porque ela não cumpria o papel de comunitária. A informação foi da diretora do Centro de Ciências da Comunicação (CECC) da UCS, Marliva Vanti Gonçalves, em assembleia realizada em 2010 para os acadêmicos de comunicação da universidade. Com a 'perda' da emissora comunitária, que tinha pouco aproveitamento dos alunos foi criado o Portal Frispit.

O contrato da Associação Pró -Campus que passou a concessão para a UAB foi assinado no dia 10 de junho de 2010 no Centro de Teledifusão Educativa de Caxias do Sul – CETEL. Estiveram no encontro da assinatura do contrato, a professora Leyla Coimbra Tomé, que foi a responsável pelas negociações junto ao Ministério das Comunicações, a diretora do CECC da UCS, Marliva Gonçalves, os coordenadores dos cursos de Jornalismo, Relação Públicas e Publiciade & Propaganda, o ex-presidente da UAB, Daltro da Rosa Maciel e presidentes das Associações de Moradores de Caxias do Sul – AMOBS.

Daltro da Rosa Maciel saiu da presidência da UAB em junho deste ano, entretanto continuou na presidência da Associação Radiodifusão Comunitária para dar continuidade à emissora comunitária. No lugar de Daltro, assumiu a União das Associações de Bairros (UAB), Valdir Fernandes Walter, que pode ter planos diferentes com a rádio da UAB.

A rádio comunitária da UAB por questões legais é obrigada a ter o alcance no raio de 1 quilômetro da universidade. A sede da rádio vai funcionar na associação de moradores do bairro Petrópolis, no entorno da Cidade Universitária e a UCS não pode emprestar equipamentos por serem da instituição.

De acordo com o diretor de marketing e comunicação da UAB, Antonio Velho, em entrevista para o jornal O Caxiense, ele informa que a Visate (Viação Santa Tereza) no início do ano fez a doação de uma antena par a rádio comunitária, que vai agilizar e baratear o processo e ainda ele divulgou que a rádio estaria no ar em maio. "Alugamos uma sala e estamos montando-a seguindo a orientação dos técnicos que a UCS passou. A documentação está na fase final. No início de maio a rádio já deverá estar no ar", diz.

Conforme Velho ainda na entrevista no impresso O Caxiense, ele relatou sobre o estilo da programação da emissora. "A rádio vai acompanhar o que acontece na Câmara de Vereadores, nas reuniões dos bairros, os problemas e as soluções. Os integrantes da UAB já participaram de cursos de capacitação com professores da UCS. Não vai ser uma rádio pirata que vai lá e fala o que quer. Tem tem toda uma legislação".

Por fim, Antônio Velho explica que a emissora comunitária terá o apoio da UCS por um ano e a programação será diferenciada. "Tem que se enquadrar no enfoque de rádio diferenciada. Se fosse para ser igual, às outras já estava funcionando".

0 comentários:

Postar um comentário