Pages

23 de outubro de 2011

Piloto italiano Marco Simoncelli morre após grave acidente na MotoGP da Malásia


O piloto italiano Marco Simoncelli morreu na manhã deste domingo, 23, após um grave acidente logo na segunda volta da prova da MotoGP, na Malásia. O piloto perdeu o controle da moto e foi ao chão em uma curva. Colin Edwards e Valentino Rossi, que vinham logo atrás, não conseguiram desviar e acabaram o atropelando. O capacete do italiano quebrou por causa da força do impacto e Edwards fraturou o ombro.

Simoncelli foi atendido na clínica do circuito mas, por causa da gravidade dos ferimentos, teve que ser levado para o hospital de helicóptero. Já hospitalizado, teve parada cardiorrespiratória e faleceu. A corrida foi cancelada logo após o incidente. No momento, o site oficial do piloto está fora do ar.

- Simoncelli entrou em parada cardiorrespiratória por causa do forte impacto que recebeu na cabeça, pescoço e peito, por isso foi rapidamente entubado e recebeu manobras de recuperação durante mais de 45 minutos, mas todas as tentativas foram em vão e, às 16h56 (6h56 de Brasília), o piloto foi declarado oficialmente morto - detalhou o diretor médico da MotoGP, o italiano Michele Macchiagodena.

Simoncelli nasceu na pequena Cattolica, na Itália, em 20 de janeiro de 1987. Sua principal conquista foi o título das 250cc em 2008. Ele estreou na principal categoria da motovelocidade mundial no GP do Catar, em 2010. Disputou 34 provas e conseguiu um segundo lugar como melhor resultado.

Acidentes e polêmicas durante a temporada
Durante a temporada, Simoncelli se viu envolvido em várias polêmicas. No GP de Estoril, o italiano obteve a segunda posição no grid de largada, atrás do atual campeão mundial, Jorge Lorenzo, e travou um bate-boca com o adversário na coletiva de imprensa pós-treino. Lorenzo havia declarado em entrevistas que considerava o italiano perigoso. Na coletiva, Simoncelli lembrou de um acidente entre o espanhol e Dovizioso em 2005, em que Lorenzo acabou suspenso, e o campeão contra-atacou dizendo que Sic teria problemas no futuro.

Na etapa seguinte, em Le Mans, Sic foi novamente o segundo mais rápido nos treinos e brigava pelo segundo lugar na corrida com o espanhol Dani Pedrosa quando tentou uma ultrapassagem agressiva, à esquerda, fechando o adversário. Ao levantar a moto na saída da curva, Pedrosa tocou sua roda dianteira na roda traseira do adversário e capotou, resultando numa clavícula quebrada. O italiano foi punido com um "ride-through" (passagem obrigatória pela reta dos boxes) e terminou a prova em quarto.

Em Assen, na Holanda, foi a vez de Jorge Lorenzo ter sua Yamaha abalroada pelo italiano na primeira volta da prova. No chão, após erro de Simoncelli, o espanhol chegou a dar um empurrão no adversário para recuperar sua máquina e seguir adiante.

- Todos viram o que aconteceu na primeira volta pela TV. Óbvio que ele não quis me tirar, não foi sua intenção, mas eu acho que o problema é que ele não tem muita consciência dos riscos da categoria, com essas motos e esses pneus. Achava que ele tinha aprendido com o passado, a partir da controvérsia que ele criou, o que se passou com o Dani (Pedrosa), mas é certo que ele ainda não aprendeu. Espero que ele aprenda no futuro, mas, neste momento, não tenho o menor respeito por ele porque ele está causando risco a todos os pilotos -disse Lorenzo, na ocasião. Fonte

0 comentários:

Postar um comentário