Pages

22 de maio de 2013

Brasil passa a ocupar o segundo escalão do futebol mundial ao trocar jovens por veteranos


Foto: Divulgação Santos FC

Nos últimos anos, a chegada de jogadores consagrados ao Brasil como Forlán no Internacional, Seedorf no Botafogo e o retorno de Alexandre Pato ao país, para atuar no Corinthians, fizeram crescer o sentimento de que o futebol nacional, após anos sendo visto como exportador de talento para os grandes campeonatos europeus, passaria a rivalizar com países como Inglaterra e Espanha no topo do planeta bola.

Porém, a situação parece caminhar na direção contrária. Estudo divulgado nesta terça-feira pela Pluri Consultoria revelou o valor de mercado dos clubes que irão disputar o Campeonato Brasileiro e os resultados revelam queda no total dos 20 competidores. O valor dos elencos do Brasileiro caiu 8% em relação ao ano passado. Em números gerais, a depreciação ficou próxima dos R$ 30 milhões.

Para Fernando Ferreira, sócio-diretor da empresa de consultoria responsável pelo estudo, o decréscimo explica-se pela lógica perversa do futebol brasileiro atualmente: seguimos vendendo nossos jovens talentos e contratamos em troca veteranos com valor de mercado reduzido.

"Estamos em queda no valor de mercado, pois os talentos mais jovens e mais valiosos continuam a sair e estamos repatriando ou trazendo estrangeiros veteranos, já com baixo valor de mercado", comentou Fernando, para alertar: "Com a abertura da janela certamente vamos perder mais valor."

Além da queda do valor total, outro dado percebido na pesquisa é a maior concentração de valor nas mãos dos cinco principais clubes do país - atualmente Santos, Corinthians, São Paulo, Atlético-MG e Fluminense. Enquanto em 2012, o top 5 nacional acumulava 46,81% do valor do campeonato, neste ano este número passou a ser de 50,33%.

De acordo com o diretor da Pluri, a concentração pode acarretar processo de 'europeização' do Brasileiro. Antes visto como um dos mais equilibrados do mundo por ser iniciado com 8 a 10 times no páreo, o título da competição pode passar a ser disputado por menor número de clubes, que se repetem a cada ano. Contudo, para Fernando Ferreira, polarizações como entre Benfica e Porto em Portugal ou Barcelona e Real Madrid na Espanha são improváveis no país.

"Estamos criando escalas diferentes dentro do grupo de 12 clubes que se convencionou chamar de grandes. Dentro desse grupo há diferenças de faturamento de mais de 200%. Em resumo, ao invés dos 10 ou 12 de sempre, estamos caminhando para ter de 4 a 6 clubes com claro destaque no Brasil", avaliou.

Brasil perde terreno para o futebol russo

E a queda de 8% no valor de mercado total do Campeonato Brasileiro refletiu-se na disputa com os demais torneios do mundo. Sexto colocado em 2012, o Nacional acabou ultrapassado pelas ligas russa e turca e passou a ser o 8º Nacional mais valorizado nesta temporada de acordo com estudo da Pluri a ser divulgado nesta quinta-feira ao qual o Yahoo! Esporte Interativo teve acesso.

Tomando por base a média de valor de cada clube, a situação é ainda pior com o Brasil caindo para o nono lugar, ficando atrás também do Campeonato Português e seus 16 clubes. Segundo o diretor da Pluri Consultoria, a queda nos coloca no segundo escalão do futebol mundial.

"Nossa briga cada vez mais é com o segundo escalão, com Portugal, Ucrânia, Turquia", afirmou Fernando Ferreira, salientando o crescimento do futebol na Rússia. "Por outro lado, a Rússia cada vez mais se aproxima do primeiro escalão, já está muito próximo da França." Fonte

Confira a tabela dos campeonatos nacionais pelo mundo em valor de mercado dos clubes:


(Clique na imagem para ampliar)

0 comentários:

Postar um comentário