Pages

12 de janeiro de 2014

Papa Francisco anuncia arcebispo do Rio de Janeiro como novo cardeal

Foto: AFP

O papa Francisco nomeou neste domingo, 11, o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, como novo cardeal brasileiro. O nome dele foi anunciado junto com o de outros 18 novos cardeais vindos da Ásia, África, América do Norte e do Sul em discurso feito pelo pontífice para uma multidão na Praça de São Pedro.

Essa é a primeira lista de nomeação de cardeais do papa. Dezesseis dos nomeados têm menos de 80 anos, incluindo o brasileiro, o que significa que eles são elegíveis para escolher um próximo papa, que é a tarefa mais importante de um cardeal. Os outros três assumem como eméritos.

Dom Orani foi o coordenador da Jornada Mundial da Juventude, realizada em julho do ano passado, no Rio, quando o recém-empossado papa fez sua primeira viagem internacional. Quando foi feito o anúncio, ele estava nos estúdios da TV Brasil, onde celebrou, ao vivo, às 8 horas, a Santa Missa, com a presença da imagem peregrina de São Sebastião.

Em entrevista aos veículos de comunicação da Arquidiocese, ele afirmou que a nomeação é uma graça e ao mesmo tempo uma grande responsabilidade: “Em minha indignidade, tenho certeza que a graça de Deus não me faltará para poder bem servir a Igreja nessa dimensão universal, que é a dimensão do cardinalato. Peço a todos que continuem rezando por mim, para que possa continuar servindo a Deus, à Igreja, como tenho servido até hoje, mas agora com essa responsabilidade maior, que se une às que já desenvolvo”, afirmou.

Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio e anunciado cardeal pelo papa Francisco na manhã deste domingo, 11, contou ter sido “pego de surpresa” pela notícia da nomeação. “Quando soube, estava no carro, indo para um compromisso, após rezar uma missa às 8 horas”, contou. “Deu um frio na barriga, porque é uma nova responsabilidade, mas depois a gente se refaz e vai aceitando a graça de Deus”, afirmou.

Dom Orani considera que o sucesso da Jornada Mundial da Juventude, evento promovido no Rio em 2013 e que contou com a participação do papa Francisco, não foi o fator decisivo para sua nomeação como cardeal, mas ajudou. “A proximidade e o contato pessoal com o papa fazem diferença”, afirmou.

Ele disse ainda não saber se vai ocupar algum cargo no Vaticano. “Os cargos vamos saber depois. Primeiro vem a notícia, depois o serviço.” Por enquanto, a nomeação não deve mudar significativamente sua rotina de trabalho no Rio, a não ser pelo fato de que dom Orani deverá viajar mais vezes a Roma para reuniões com o papa Francisco e com outros cardeais.

A cerimônia que deve colocá-los formalmente como cardeais será realizada em 22 de fevereiro no Vaticano. Entre os novos cardeais estão nomes vindos de países em desenvolvimento como Nicarágua, Costa do Marfim, Burkina Faso, Filipinas e Haiti, o que deve refletir a busca do papa por uma igreja mais voltada para os pobres.

Com informações do Estadão

0 comentários:

Postar um comentário