Pages

11 de fevereiro de 2014

FUGA: Mais três cubanos abandonam o programa Mais Médicos

Ministro da Saúde - Arthur Chioro
Foto: Jorge William / Agência O Globo

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, informou nesta terça-feira que mais três profissionais cubanos abandonaram o programa Mais Médicos. Esses médicos trabalhavam nos municípios de Rio do Antônio, na Bahia, Belém de São Francisco, em Pernambuco, e Timbira, no Maranhão. O ministro não soube dizer o paradeiro deles.

Nos últimos dias, vieram a público o caso de dois cubanos que deixaram o programa: a médica Ramona Matos Rodríguez, que trabalhava em Pacajá (PA), e o médico Ortelio Jaime Guerra, que atuava Pariquera-Açu (SP).

O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira um balanço do terceiro ciclo de seleção de profissionais para o Mais Médicos. Já estão trabalhando 6.658 médicos (dos quais 5.378 cubanos). A eles se somarão outros 2.890 (2 mil deles cubanos), que começarão a trabalhar em março, totalizando 9.548. Segundo o ministério, com os novos profissionais, todos os municípios de maior vulnerabilidade social que aderiram ao programa terão suprida sua demanda por médicos. A meta do governo federal é ter 13 mil médicos até o fim de março.

Na semana passada, o ministro já havia dito que 22 médicos cubanos, de um total de 5.378, haviam se desligado do programa. Todos eles justificaram a desistência e formalizaram o desligamento: 17 por problemas de saúde e cinco por razões pessoais. Os cinco novos casos — incluídos Ortelio e Ramona — não justificaram o afastamento do programa. O processo de desligamento de Ramona está sendo finalizado. Os outros quatro ainda vão ser notificados.

— Aqueles 22 (desligamentos) foram formalizados, ou por problemas de saúde e ou porque tiveram problemas pessoas e pediram para voltar e houve acordo. O que eu estou comunicando é que nos últimos dias, de sexta-feira para cá, o Ministério da Saúde foi recebendo comunicações ou das coordenações estaduais ou por parte dos municípios da situação de infrequência de quatro profissionais cooperados (cubanos), e um deles público (Ortelio), que nós fomos notificados no anteontem à noite — afirmou Chioro.

Também vão ser notificados outros 85 médicos que desistiram do programa, dos quais 80 com registro no Brasil e cinco formados no exterior. Entre os cinco de fora, há um espanhol que trabalhava em Recife, uma colombiana em Belo Horizonte, um ucraniano e uma brasileira formada no México em Porto Alegre, e um argentino em Salvador. Fonte

0 comentários:

Postar um comentário