Pages

1 de julho de 2014

Governador visita as áreas mais atingidas pelas enchentes no RS

Foto: Caroline Bicocchi

A chuva que castigou o Rio Grande do Sul nos últimos dias deu uma trégua nesta terça-feira (1º). Mas deixou 3.061 desabrigados e 5.238 desalojados. No município de Iraí algumas famílias que estavam em abrigos retornaram para suas casas. Foi um dia de limpeza e de tentar recuperar móveis e utensílios.

A faxineira Céli Ramirez quase teve a casa arrastada pela correnteza. Boa parte da estrutura ficou comprometida. "A água começou a entrar muito rápido e entrei em desespero; só consegui pegar algumas roupas o resto eu perdi tudo", disse. Vizinho de dona Céli, o auxiliar de produção, Édson Silva também ficou assustado. Na hora da enchente apenas os pais dele estavam em casa. Com idade avançada, conseguiram salvar muito pouco.

Foi esse cenário que o governador presenciou quando chegou ao munícipio no início da tarde desta terça-feira (1º). Tarso Genro se reuniu com o prefeito, Volmir Bielski, e manifestou solidariedade à comunidade. Também destacou que está avaliando as providências tomadas pela Defesa Civil do Estado e garantiu novas medidas que devem ser tomadas a partir da reunião dos prefeitos dos municípios atingidos, marcada para esta quarta-feira (2) no Palácio Piratini.

"Nós vamos nos articular para recuperar a totalidade dos prejuízos que ocorreram. As ações emergenciais já estão em andamento com o apoio e a solidaderiedade do Governo Federal para trabalharmos juntos e diminuir os danos desse acontecimento que abalou a comunidade da região", afirmou Tarso Genro, que se deslocou também a São Borja para conferir de perto os estragos.

No município da Fronteira, Tarso visitou áreas alagadas no bairro do Passo, Várzea e Porto do Angivc, entre outros. Ele conversou com pessoas atingidas pelas cheias, algumas abrigadas no Ginásio Municipal. Além de prestar sua solidariedade às famílias vítimas das águas, às margens do Rio Uruguai, Tarso ordenou a agilização de medidas urgentes, como o fornecimento de patrolas e caminhões.

Ao prefeito, Farelo Almeida, reiterou que na manhã desta quarta será realizada reunião, no Palácio Piratini, com representantes dos municípios atingidos pelas chuvas. "Vamos recolher e examinar as principais demandas", disse o governador. "E, na quinta-feira, o coordenador da Defesa Civil do Estado, coronel Oscar Moiano, e o secretário do Gabinete dos Prefeitos, Jorge Branco, irão levar a situação ao Ministério do Integração Nacional, em Brasília, que está atento ao problema das cheias aqui no Rio Grande do Sul".

Mais de uma tonelada de roupas e alimentos distribuídos
Em Frederico Westphalen, a Defesa Civil do Estado montou uma central de atendimento às prefeituras das cidades atingidas. Dali parte ajuda humanitária e doação de donativos. A central já distribuiu mais de uma tonelada de roupas e alimentos. O coordenador da central, Major Márco Facin, disse que os donativos estão sendo encaminhados à Defesa Civil dos municípios, que os repassam às famílias que continuam em abrigos ou estejam retornando as suas casas. Setenta e duas cidades foram afetadas pelas cheias. A maioria na região da Fronteira Oeste e Norte. Quarenta e cinco decretaram situação de emergência e duas estão em estado de calamidade pública.

Com informações do Governo do Estado do Rio Grande do Sul

0 comentários:

Postar um comentário