Pages

30 de junho de 2010

O escândalo da Copa do Mundo de 1998

Volta a circular pela internet um e-mail que confirma o escândalo da Copa de 1998, ano que o Brasil levou uma histórica goleada da França na final, pelo placar de 3 à 0. O e-mail é assinado por Gunther Schweitzer, da Central Globo de Jornalismo.

Fazendo uma simples pesquisa, para averiguar a veracidade do conteúdo e de quem havia assinado o texto/denúncia, encontrei um resposta da TV Globo sobre a NÃO existência deste funcionário na empresa. A resposta é de 2006, mas o texto já circulava no final do Mundial da França, em 1998.

A derrota do Brasil para a França, é muito suspeita e até hoje nada foi revelado e provavelmente se aconteceu mesmo alguma coisa, dificilmente virá a tona. Sabemos que a CBF e FIFA são entidades nada confiáveis e a seriedade ainda está em falta, sem que precise citar exemplos, mas nada ainda foi comprovadado, sobre escândalos do Mundial da França, entre outros.

Eu duvido que um funcionário da Globo iria denunciar uma farsa desse tamanho, afinal seria a própria emissora a prejudicada futuramente com contratos, entre outros serviços, prestados as duas entidades.

Inicialmente segue a pergunta feita em uma página do BOL/UOL (será que tem veracidade também?) sobre a denúncia e a resposta da TV Globo em 2006, sobre a NÃO existência do funcionário em seu quadro de profissionais e seguida confira o texto que está circulando pelos e-mail e sites.

-------------------

Entramos em contato com o Jornal Nacional da Rede Globo de Televisão via online para checar a informação!

domingo, 9 de julho de 2006 05:09
Faleconosco - Quero perguntar - Jornal Nacional

"Uma mensagem está sendo veiculada pela internet em nome da Central Globo de Jornalismo, assinada por Gunther Schweitzer, denunciando fraude e corrupção nas derrotas da seleção brasileira nas últimas Copas. O texto pode ser encontrado no endereço eletrônico www.tvbobo.com/.

Vocês podem confirmar esta fonte ou a existência deste correspondente nos quadros do jornalismo da Globo?!
"

RESPOSTA

Agradecemos a mensagem e o interesse. Realmente, logo após a Copa do Mundo de Futebol de 1998 circulou uma mensagem semelhante, porém sem assinatura.

Gunther Schweitzer provavelmente não existe, pois não existe qualquer funcionário da TV Globo que tenha um nome minimamente parecido com este. Desconsidere!

Cordialmente,

Central Globo de Comunicação


TEXTO

COPA 1998 - DIVULGADO O ESCÂNDALO QUE TODO MUNDO SUSPEITAVA !


"Todos os brasileiros ficaram chocados e tristes por terem perdido a Copa do Mundo de futebol, na França. Não deveriam. O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos. Fato comprovado: o Brasil VENDEU a copa do mundo para a Fifa. Os jogadores titulares brasileiros foram avisados, às 13:00 do dia 12 de Julho (dia do jogo final), em uma reunião envolvendo o Sr. Ricardo Teixeira (na única vez que o presidente da CBF compareceu a uma preleção da seleção), o Técnico Mário Zagallo, o Sr. Américo Faria, supervisor da seleção, e o Sr. Ronald Rhovald, representante da patrocinadora Nike. Os jogadores reservas permaneceram em isolamento, em seus quartos ou no lobby do hotel. A princípio muito contrariados, os jogadores se recusaram a trocar o pentacampeonato mundial por sediar a Copa do Mundo.

A aceitação veio através do pagamento total dos prêmios, US$70.000,00 para cada jogador, mais um bônus de US$ 400.000,00 para todos os jogadores e integrantes da comissão, num total de US$ 23.000.000,00 vinte e três milhões de dólares) através da empresa Nike. Além disso, os jogadores que aceitarem o contrato com a empresa Nike nos próximos 4 anos terão as mesmas bases de prêmios que os jogadores de elite da empresa, como o próprio Ronaldo, Raul da Espanha, Batistuta da Argentina e Roberto Carlos, também do Brasil.

Mesmo assim, Ronaldo se recusou a jogar, o que obrigou o técnico Zagallo a escalar o jogador Edmundo, dizendo que Ronaldo estava com problemas no joelho esquerdo (em primeira notícia divulgada às 13:30 no centro de imprensa) e, logo depois, às 14:15, alterando o prognóstico para problemas estomacais). A sua situação só foi resolvida após o representante da Nike ameaçar retirar seu patrocínio vitalício ao jogador, avaliado em mais de US$90.000.000,00 (noventa milhões de dólares) ao longo da sua carreira.

Assim, combinou-se que o Brasil seria derrotado durante o "Golden Goal" (prorrogação com morte súbita), porém a apatia que se abateu sobre os jogadores titulares fez com que a França, que absolutamente não participou desta negociação, marcasse, em duas falhas simples do time brasileiro, os primeiros gols.

O Sr. Joseph Blatter, novo presidente da Fifa, cidadão franco-suíço, aplaudiu a colaboração da equipe brasileira, uma vez que o campeonato mundial trouxe equilíbrio à França num momento das mais altas taxas de desemprego jamais registradas naquele país, que serão agravadas pela recente introdução do euro (moeda única européia) e o mercado comum europeu (ECC).

Garantiu, também, ao Sr. Ricardo Teixeira, através de seu tio, João Havelange, que o Brasil teria seu caminho facilitado para o pentacampeonato de 2002.
Talvez isso explique a razão do jogador Leonardo ter declarado a seguinte frase: "Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo, ficariam enojadas".
Por gentileza passem esta mensagem para o maior número possível de pessoas, para que todos possam conhecer a sujeira que ronda o futebol!

Desde já agradeço, Um abraço.
Gunther Schweitzer
Central Globo de Jornalismo"

1 comentários:

Postar um comentário