Pages

26 de março de 2011

A TV via internet do SBT

Foto: Lourival Ribeiro/Divulgação

O SBT resolveu abraçar o modelo de TV via banda larga, e esse é um marco no mercado brasileiro de televisão. Um canal de vídeos, em que o espectador escolhe o que quer assistir, na hora em que quer assistir, estreou nos televisores, leitores de Blu-ray e home theathers da Sony. O conteúdo vem via banda larga.

Com o acordo com a Sony, o SBT tornou-se a primeira emissora de TV aberta brasileira a adotar o modelo de broadband TV. “Estamos na fase final de negociação com uma outra emissora”, disse Luciano Bottura, gerente de produto de TV da Sony Brasil. “Devemos fechar até o primeiro semestre.”

O vídeo via internet direto no televisor é uma tendência mundial. Para validá-la no Brasil, faltava a adesão das emissoras de TV aberta. O acordo do SBT com a Sony não prevê exclusividade, e levou um ano para ser negociado e implementado.

“As outras emissoras é que estão atrasadas”, disse Renata Abravanel (foto), diretora de projetos de novas mídias e do site do SBT, sobre o pioneirismo.

Antes do acordo com o SBT, a Sony tinha parcerias com empresas de internet, como UOL e iG, e companhias internacionais, como a Sony Pictures, do mesmo grupo.

O canal do SBT estreia com mais de 500 vídeos, que incluem programas completos, capítulos de novela e entrevistas.

“O SBT não é só uma emissora”, disse Renata Abravanel, filha de Silvio Santos. “Também é uma produtora de conteúdo.” Segundo ela, o espectador está mudando. “Ele quer assistir o que quiser, onde quiser e no dispositivo que ele tiver. Temos de estar onde o espectador está.”

O acordo com o SBT não envolve pagamento num primeiro momento, mas prevê compartilhamento de receitas publicitárias. “A princípio, o modelo é o mesmo da TV aberta, baseado em publicidade”, disse a diretora do SBT. “Mas vamos conseguir estratificar o público, para oferecer anúncios segmentados.”

A Sony vai enviar ao SBT informações detalhadas sobre a audiência, quantas pessoas assistem a um vídeo e em que horário. Para Renata Abravanel, o vídeo via internet não retira público da TV aberta, pois os espectadores terão mais oportunidades de ver ou de rever os programas da emissora. Fonte

0 comentários:

Postar um comentário