Pages

14 de junho de 2011

A CIC e o apoio aos times de Caxias do Sul

Foto: Reprodução

Por Francisco Michielin

A CIC SÓ NÃO AJUDA SE NÃO QUISER

Desculpem-me, não quero ser inoportuno e nem perturbar o sossego de ninguém. Mas me proponho a começar, justamente hoje, uma cruzada, quase heróica, para tentar convencer nossos conceituados capitães da indústria e do comércio, a fim de que passem a ajudar efetivamente, nossos dois clubes, como eles, verdadeiramente merecem e a cidade necessita.

Desnecessário ficar devendo teses do que representam os nomes dos dois clubes locais em termos de futebol brasileiro. Repercutem bem além, muito além de nossas fronteiras. Propagam de graça, gratuitamente, o nome de todos nós. E em troca o quê?
Desconheço. Mas, talvez, nem migalhas.

Estou partindo do seguinte princípio: há uma informação que parece real e concreta de que dispomos de TRINTA E DUAS MIL EMPRESAS, tenham lá o porte que tiverem.

Se todas pudessem ajudar a dupla CaJU, já teríamos uma arrecadação apreciável. E como tenho dito e venho difundindo: sem que signifique uma sangria desatada.

Mas, vou bancar o “bonzinho”, retirando cinco mil empresas deste bolo, digamos, as menos rendosas. Não, não, vamos subtrair sete mil delas. Olhem que já é uma montanha. Sete mil empresas com dez reais cada uma ou, vá lá, vinte, nos dariam ou setenta ou cento e quarenta mil reais mensais. Estou falando de dez ou vinte reais mensais!

Agora, me acompanhem. Da subtração acima, sobraram, ainda, VINTE E CINCO MIL EMPRESAS. Se todas elas colaborarem com dez reais mensais, teremos assegurados duzentos e cinqüenta mil reais! Se for com vinte, será o dobro: QUINHENTOS MIL REAIS!

Com míseros trocados. Uma barbada. Sem choro e nem vela...

Faço, ainda, uma nova redução: tiro da lista mais cinco mil empresas, pelos mais diferentes motivos, inclusive aquelas que não tiverem a menor intenção de prestar o mínimo de ajuda. Então, das trinta e duas mil iniciais, estou selecionando apenas VINTE MIL! Sabem lá o que é isso?

Se todas essas colaborarem com meros CEM REAIS MENSAIS, obteremos uma soma de DOIS MILHÕES DE REAIS!

Muito bem! Se for um pouquinho mais, imaginem a quantia arrecadada. Podemos, neste caso, diluir despesas, sugerindo que empresas mais fortes economicamente, repassem um subsídio bem mais expressivo, mas não mais do que dois mil reais mensais – a não ser que queiram dar mais. Isso irá, certamente, compensar e equilibrar com aquelas firmas que têm boa vontade, mas não tem verba suficiente.

Pergunto à CIC, como pergunto ao Senhor Prefeito, José Ivo Sartori, como estendo o questionamento aos meus amigos, os Senhores Vereadores:

Não é simples? Pode não ser fácil, mas é muito simples.

Ninguém poderá reclamar que as empresas estão desviando dinheiro do “social” com essas mixurucas contribuições. É, realmente, o mínimo dos mínimos.

O Presidente da CIC, senhor Milton Corlatti, ativo e dinâmico em suas atividades, tem essa missão a conduzir. Cabe a ele, em primeiro lugar, levantar a bandeira.

Nossos políticos, necessariamente, devem fazer a sua parte.

Olhem, reparem, por favor, o que é que se está pedindo, de chapéu na mão, para a obtenção de uma arrecadação que, por mais minguada, em sua soma, se transforme em uma montanha.

É o que os dois clubes, Juventude e Caxias, estão esperando e precisando.

Digo mais: a nossa cidade é quem faz por merecer e todos sairão ganhando!

0 comentários:

Postar um comentário