Pages

1 de novembro de 2011

PIRATARIA: Estudantes da USP mantêm rádio pirata dentro da universidade


O site Comunique-se informa que os alunos da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (conhecida como Fefelech) da USP (Universidade de São Paulo) mantêm uma rádio pirata dentro da própria Cidade Universitária, região do Butantã, zona oeste da capital paulista. Segundo a Rádio Bandeirantes, em reportagem produzida pelo jornalista Agostinho Teixeira, a emissora está em funcionamento desde 2004.

Com a mensagem “ocupando o latifundio eletromagnetico” (sem acentuação) publicada no site, a emissora chamada Várzea Livre opera nos 107,1 FM e abrange parte do município de São Paulo. Na internet, os idealizadores da rádio afirmam defender o direito à liberdade de expressão. “A ideia é ‘produzir recebendo’ e ‘receber produzindo’: nada de divisão dos papéis, onde uns transmitem e outros recebem. Somos programadores e ouvintes ao mesmo tempo”, argumentam.

Após a veiculação da matéria no dial, o site do Grupo Bandeirantes de Comunicação publicou que, apesar de ilegal, a rádio funciona com o conhecimento de todos os responsáveis pela Fefelech. Na reportagem de Agostinho, um ex-estudante, tido como o chefe da emissora, disse que até professores sabem da existência da Várzea Livre, que tem a antena retransmissora localizada no centro do prédio na USP, de acordo com a Rádio Bandeirantes.

Manifestação
Na quinta-feira (27), três estudantes foram detidos por porte de maconha. Com a prisão, outros alunos da Fefeleche ocuparam o prédio durante o último fim de semana, em manifestação contra a presença de policiais militares dentro do campus da USP. Em um cartaz contrário os PMs seguia a seguinte mensagem em relação aos membros da corporação: “não são trabaliadores (SIC)”.

Blog da rádio pirata: Várzea Livre

0 comentários:

Postar um comentário