Pages

21 de junho de 2013

Protesto em Caxias do Sul em clima de guerra

Fotos: Rádio São Francisco Sat

Uma noite de terror. O manifestado realizado nesta sexta-feira, 21 de junho de 2013, organizado pelas redes sociais, que começou pacífico, terminou com muito tumulto e pavor na região central da cidade. De acordo com a Brigada Militar, a estimativa foi de 35 mil participantes.

Por volta das 20h, vândalos jogaram rojões nos vidros da prefeitura, e também nos policiais. O pelotão de choque teve que usar a cavalaria para controlar alguns manifestantes desordeiros. A luz no centro de Caxias do Sul teve que ser cortada.

Dois conteiners foram queimados, e ainda foi jogado combustível para atear fogo no chão da rua Alfredo Chaves. A Alfredo Chaves em direção à rua Os 18 do Forte chegou a ser trancada, e os manifestantes tiveram que dar a volta pelo bairro Exposição. Além disso, também houve atos de vandalismo na relojoaria Kayser e no Banco do Brasil.

Durante o protesto, o Hino Riograndense e o do Brasil foram cantados na área central. A Dr. rua Montaury e a Pinheiro Machado também sofreram com atos de vandalismo, com pichações. Policiais ficaram machucados com as pedradas, garrafadas e até os cavalos foram atacados.

Durantes os protestos, houve confusão em frente ao Hipermercado Zaffari que envolveram pessoas mascaradas. Em alguns momentos a Brigada Militar teve que soltar bomba de gás lacrimogêneo para tentar dispersar as pessoas.

Por volta das 21h30min, os manifestantes começaram a se dispersar. Grande parte dos manifestantes contestaram os atos de vandalismo com gritos: "Sem violência, isso é só um protesto!"

Às 22h, a luz retornou na Praça Dante Alighieri, e o trânsito começou a voltar ao normal.

1 comentários:

Postar um comentário