Pages

1 de agosto de 2013

Uma história da vida acadêmica

Foto: Ivan Sgarabotto

Hoje ao ir para a faculdade, neste meu último semestre do curso de Jornalismo, comecei a pensar em tudo o que já aconteceu comigo nesse tempo todo na UCS. É impressionante como temos histórias que foram percorridos em caminhos cheios de metas, sonhos, objetivos e realizações.

Inicialmente fiz o vestibular para não passar; afinal, eu queria dar uma pausa nos estudos e descansar, e por incrível que pareça não foi isso o que ocorreu. No início da tarde de uma quarta-feira (se eu não me engano), eis que recebo uma mensagem no celular: “Parabéns Ivan, você passou!” E ai pensei, como assim passei? Eu realmente não esperava passar, mas, a partir de então, começou a correria para ir atrás da documentação.

No dia da matrícula (acho que foi numa sexta-feira), eu fui de Kombi com a minha mãe, e por mais engraçado que a cena possa parecer, isso é verdade, não foi brincadeira, pois, um amigo dos meus pais, nos deu carona para efetivar o começo dessa nova etapa da vida.

O dia 02 de março de 2005, que foi numa quarta-feira, esta data não ficou marcado por causa da minha primeira aula na Universidade, mas, pela passagem do meu avô Isidoro. Nessa quarta-feira ele “esperou” eu começar o meu sonho, para em seguida à noite, partir e me cuidar lá de cima, do céu. Foi, portanto, um dia marcante e inesquecível.

O tempo foi andando e me levando, tive muitos dias difíceis, até cheguei a ir e voltar da facul a pé, sem ter um dinheiro para comprar passagens ou comer algo, mas segui com a cabeça erguida, batalhando e lutando para o meu melhor. Tive muitas decisões para tomar, teve um momento que tranquei por dois semestres para comprar algumas coisas, e até decidir se prosseguia ou não na vida acadêmica ou seguiria no trabalho em que estava com propostas para crescimento.

Retornei todo perdido fazendo algumas cadeiras de noite, e assim foi indo, semestre por semestre... Mas sabe, a minha maior dificuldade não chegou a ser a Monografia, e sim os meses de outubro e novembro do ano passado, porque foi um período que dava tudo errado, e o pior que foi e tudo mesmo, eu estava perdendo as batalhas, até ameaça de processo eu levei. Foi tenebroso e tenso, e neste momento acredito que foi a primeira vez que pensei em desistir de tudo, não estava mais acreditando em nada e me sentindo totalmente sozinho e inútil.

Chegou o mês dezembro; e uma voz ou força que sei lá da onde surgiu, que dizia para não desistir dos meus objetivos e sonhos, e aos poucos fui me reerguendo, porque a dor e a frustração era grande, e doía a cada segundo.

O ano de 2013 nasceu, e eu disse que iria aproveitar tudo o que desse. Claro planejar algo é fácil, executar é o difícil, e desde o começo o ano me reservou muitas novidades, coisas que eu jamais esperaria, porque no final de 2012 tinha sido tão complicado que de tão perdido, eu realmente não esperava mais nada.

Passeis dias e noites pensando, escrevendo, observando, reclamando, brigando, sorrindo, brincando, interpretando, choramingando, esperando e fazendo de tudo mesmo para aproveitar, tanto em momentos fáceis, como nos difíceis. Pois é, e eu tinha uma Monografia, que empaquei em dois momentos, um no começou e um no final e não foi nada bom, porque temos uma data pra entregar, é o nosso principal trabalho da faculdade, e se tudo der certo, temos a ajuda dos outros, mas é algo que depende muito de nós; e como disse anteriormente ela (Monografia) não chegou a ser a minha maior dificuldade, por mais problemas que haviam, mas sim, um grande desafio.

Eu gosto de desafios e me desafio muito, tem momentos que perco, mas tem diversos outros momentos que ganho, portanto, quando eu venço eles tento tirar todo o aproveito e dizer bem alto: “EU VENCI, EU CONSIGO, EU POSSO!“ E assim é na vida, estamos aqui sempre lutando para estar realizado, e assim ser feliz. Um trabalho monográfico é difícil? Lógico que sim! É complicado? Claro! Tudo vai dar certo e foi isso que eu mais ouvi nestes últimos tempos, e tenho certeza que tudo vai dar certo.

Por: Ivan Sgarabotto

0 comentários:

Postar um comentário