Pages

11 de agosto de 2014

Setor audiovisual comemora edital do Iecine que incentiva a produção gaúcha

Foto: Alina Souza/Especial Palácio Piratini

nstalado em um estande ao lado do Palácio dos Festivais, em Gramado, o Instituto Estadual de Cinema (Iecine) promove o edital RS Polo Audiovisual em Longa-metragem, que financiará dez novas produções gaúchas. O estande estará aberto até o dia 16 de agosto, período de realização do 42º Festival de Cinema de Gramado.

O edital é inédito no Estado e foi viabilizado por meio de parceria entre o Fundo Setorial do Audiovisual, gerido pela Agência Nacional do Cinema (Ancine) e operado pelo BRDE e o Fundo de Apoio à Cultura do RS (FAC), integrante do Sistema Pró-Cultura RS. O valor dos recursos é de R$ 5 milhões, sendo R$ 2 milhões do FAC – da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac) – e R$ 3 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). O período de inscrições, aberto em 31 de julho, segue até 18 de setembro.

“Queremos acelerar e estabelecer processos que fomentem essa retomada da produção cinematográfica no Estado”, explica o diretor do Iecine, Juan Zapata. “Esse evento oferece espaços de cinema que se comunicam e, para nós, é uma oportunidade ímpar de apresentar e promover a produção gaúcha, que é consistente e importante”.

Segundo o secretário da Cultura, Luiz Antônio de Assis Brasil, o Estado trabalha para promover a internacionalização do audiovisual do Rio Grande do Sul. "Abrimos um caminho internacional para o segmento, especialmente com o mercado latino-americano.”

“O Rio Grande do Sul é um grande centro produtor e propagador de conteúdos audiovisuais, e o Brasil precisa do talento e da experiência do Rio Grande do Sul para atingirmos o objetivo de tornar o país um dos cinco maiores do mercado de cinema e audiovisual do mundo”, afirma o diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel.

Inscrições
Para concorrer aos recursos e inscreverem-se no edital, os projetos devem ser de obra cinematográfica brasileira de longa-metragem, com produção independente. Deverão ter destinação e exibição inicial no mercado de salas de exibição cinematográfica, com duração superior a 70 minutos.

As vagas estão divididas em três finalidades, em diferentes gêneros, sendo: duas com valor de projeto de R$ 1 milhão cada; quatro com valor de projeto de R$ 500 mil cada; e quatro com valor de projeto de R$ 250 mil cada.

As entidades de pessoa jurídica de direito privado, para participarem, deverão estar regularmente habilitadas no Cadastro Estadual de Produtor Cultural (CEPC), junto à Sedac, até o dia 17 de setembro de 2014. Ainda devem estar registradas na Ancine, com situação regular, como Empresa Brasileira de Produção Independente ou com registro provisório. Também deverão estar registradas na Junta Comercial, com Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), sob o n.º 59.11-1/99 (atividades de produção cinematográfica, de vídeos e de programas de televisão não especificadas anteriormente) ou sob o n.º 59.11-1/01 (estúdios cinematográficos).

Com informações do Governo do Estado

0 comentários:

Postar um comentário