Pages

27 de abril de 2015

Vinte e tantos e quase trinta anos

O tempo é definido por nós, as nossas atitudes e posteriores consequências é uma somatória do que realizamos. E, chega num momento que tu percebe o quanto as tuas decisões formaram fortemente o que tu é e o que tanta almeja, o que não quer dizer que tu conseguiu tudo o que queria, mas por outro lado é sempre batalhar pelo o que quer.

É impressionante como o amadurecimento surge num piscar de olhos, com o decorrer do tão falado “tempo”. Em determinado período tu estava escolhendo o que queria fazer da vida adulta. E aí neste processo tu está selecionando o que quer fazer de melhor nesta fase que está construindo, e aos poucos vai construindo os teus objetivos e montando o tão esperado futuro.

Muitas vezes um "tijolo" cai e tu tenta consertar, e mesmo sabendo que não vai ser a mesma coisa, tu sabe que vai continuar completando as peças para fazer algo com boa estrutura e qualidade. Sim, e é aquilo que ouvimos, um vidro rachado jamais vai ser o mesmo, mas, isto não quer dizer que não pode mais ser útil, porque não é verdade.

O desespero e o desânimo podem até surgir quando menos esperamos. A experiência ensina muitas coisas, mas, talvez nunca seremos totalmente experientes, mesmo quando estamos com vinte e tantos e quase trinta anos, ou menos ou mais, jovens ou maduros, por não termos a resposta de tudo, mas estarmos em busca das soluções.

Por: Ivan Sgarabotto

0 comentários:

Postar um comentário