Pages

31 de agosto de 2014

"Andanças" reconta história da imigração e de Sartori

Foto: Divulgação

Nem biografia, nem autobiografia. Andanças, lançado neste sábado, 30, em Caxias do Sul, é um livro de 176 páginas, impresso pela Editora São Miguel, que resgata as origens da imigração italiana no Rio Grande do Sul e o ambiente social, econômico e cultural em que se criou José Ivo Sartori. Prefaciada pelo senador Pedro Simon, a obra foi construída em quatro capítulos, divididos em vários episódios. É didática quanto à chegada dos imigrantes em 1875, a formação do povoado e os principais ciclos econômicos de Caxias do Sul, hoje com 124 anos de emancipação política.

A partir desse ambiente, a narrativa se debruça sobre José Ivo Sartori. Revisita os alicerces da família que forjou seus princípios e valores, consolidados no respeito aos professores das instituições onde estudou, incluindo o seminário e a universidade. O magistério seria o seu destino. Tanto que até hoje se orgulha dos tempos de docência. Mas o fato é que havia uma vocação política se revelando desde os tempos de colégio.

Sartori tornou-se um homem público, de reconhecida capacidade de aglutinação e realização. Sua carreira política já ultrapassa os 32 anos, sempre legitimados pelo voto popular para exercer mandatos legislativos e executivos. Assim, se a Igreja perdeu um padre, Caxias do Sul e o Rio Grande do Sul ganharam um dedicado homem público. Nessa linha do tempo, diferentes lideranças, homens e mulheres, ajudaram a desenhar o perfil de Sartori.

Como dizem na apresentação do livro os autores – os jornalistas Marcos Kirst, Paulo Cancian e Antonio Feldmann -, Andanças é uma obra escrita a muitas mãos e incompleta. “São fragmentos de um tempo, da vida de um personagem entrelaçada com a vida de tantas outras pessoas. (…). São testemunhos, contos, narrativas de episódios e de acontecimentos a partir de entrevistas e depoimentos espontâneos”, escrevem eles.

Com informações do PMDB

0 comentários:

Postar um comentário