Pages

23 de novembro de 2014

Mississippi Delta Blues Festival encerra com grande participação do público em Caxias do Sul

Fotos: Ivan Sgarabotto

O maior Festival de Blues da América do Sul terminou neste sábado, 22, com a sétima edição do Mississippi Delta Blues Festival, que ocorreu no Largo da Estação Férrea, em Caxias do Sul, de 20 a 22 de novembro. A participação dos fãs de blues cresceu dia a dia, com muita música, agitação, chuva, lama, nostalgia, emoção e homenagens. A estimativa nestes três dias do evento foi de aproximadamente dez mil pessoas.

O coordenador do Mississipi Delta Blues Festival, Toyo Bagoso, fala empolgado sobre o sucesso do Festival, que ele ajudou a criar em 2008, e hoje o evento é considerado o segundo maior da América, perdendo apenas para os Estados Unidos, que é o celeiro do blues. Neste ano, Toyo diz que uma das grandes novidades foi o palco “Magnolia”, que é voltado a participação das mulheres no vocal; e além, disso também nesta edição teve o resgate de momentos históricos e de origem do Festival.

O músico e um dos organizadores da sétima edição do Mississipi Delta Blues Festival, Rafa Gubert, diz que o Festival de Blues, é um sucesso em Caxias do Sul, por vários motivos, e, que poderia até ser escrito um livro com as suas histórias. Rafa Gubert que participa do evento desde o segundo ano, conta que os artistas internacionais é o que mais lhe chama atenção, e por isso gosta muito, por causa de suas músicas e de suas performances.

O último dia do Mississipi Delta Blues Festival encerrou por volta das 04h da madrugada, e teve tempo seco durante, diferente dos dois outros dias, sendo que na sexta-feira choveu bastante, mas não afastou o público. No sábado, todos os espaços tiveram uma grande participação dos fãs de blues, que estavam animados e cantando no palco principal com South America Harp Attack, o empolgante e carismático Robert Bilbo Walker com as suas danças, além de Jerry Portnoy; e Larry McCray, que teve os convidados Fernando Noronha e Lazy Lester, em sua apresentação.

Superlotado, o palco All Aboard teve Bob Stroger, Gordini Blues Band e Ale Ravanello Blues Combo, que realizou um show memorável com pedidos de mais músicas pela plateia, que contagiava o espaço que se tornou pequeno, e se divertiam com as histórias do vocalista Ale Ravanello. A ‘casinha’, no espaço “Front Porch” teve os artistas internacionais Johnny Nicholas e Bex Marshall, que agitaram muito o público, e novamente com grande procura e praticamente faltou espaço para o tamanho da plateia.

A grande novidade deste ano, o palco “Magnolia”, contou nesta noite com a participação de Luiza Casé, Flor Horita e Taryn Szpilman, que cantaram, encantaram e embalaram o sábado com apresentações que arrancaram muitos aplausos, pela forma que realizaram os shows, além de mostrarem muita energia para comandarem o palco.

Na sexta-feira que teve muita chuva e lama, o momento mais marcante aconteceu no palco principal (Barber Shop) com uma homenagem na apresentação do quarteto Guit4rs for the Blues, formado pelo Danny Vincent (ARG), Solon Fishbone (RS), Fernando Noronha (RS) e Netto Rockfeller (SP). Durante o show, Solon falou da morte do músico e ex-baixista da Cidadão Quemm, Luciano Leindecker, 42 anos, que lutava contra a doença há oito anos. O músico morreu no início da tarde da sexta-feira. "Vai véio, vai que tu tá livre", disse Solon, ao tocar um blues triste de passagem.

E na quinta-feira, o cantor Nei Van Soria que encerrou a primeira noite do MDBF, participava pela primeira vez do Festival. Ele elogiou a proposta do evento de blues em Caxias do Sul, que é de congregar pessoas ligadas a arte, afim de curtir um espaço bacana, a boa música, a cultura efervescente, tudo com a desculpa de um festival de blues.

O Nei Van Soria que já participou das bandas clássicas TNT e Os Cascavelletes, era a atração mais esperada da noite de quinta-feira. Ele cantou sucessos que embalaram toda a apresentação como "O Tempo", “Os Anjos”, “Carro Roubado”, “Jéssica Rose” e "Sob Um Céu De Blues".

O Festival de Blues em Caxias do Sul chega ao fim, com mais de 50 atrações, em três dias de evento, para um público aproximado de dez mil pessoas, e ingressos esgotados. A sétima edição do Mississippi Delta Blues Festival, já deixa saudades para os fãs de blues.

0 comentários:

Postar um comentário